Arquivo de 'Muitas maneiras diferentes de se gostar de vinhos' Category

May
13

Muitas maneiras diferentes de se gostar de vinhos



 

Margaret Rand articulista da Revista Decanter, July, 2009,  www.decanter.com fez uma lista de 40 lembranças que fazem parte do seu amor ao vinho.

Com autorização da revista fiz uma tradução condensada e passo para vocês.

Realmente gostei das lembranças dela, jocosas e irreverentes, que concordo. Tem vários links para se ir divertindo.

Como medirmos esta nossa paixão pelos vinhos? Não é uma questão de safra, ou preços, nem da raridade e nem de quanto você sabe sobre eles. A medida é uma grande mistura de boas e más garrafas bebidas, das viagens e lembranças. Como fazer esta medida?

Aprenda a decantar o vinho.

 Não só por medidas técnicas que todos já sabem, mas pela beleza do vinho branco, rosé ou tinto, ao ser servido do decanter. Colecionar decanters antigos abrirá um novo campo para gastar seu dinheiro.

Compre copos Riedel soprados, são lindos e brilhantes e deixam seus vinhos se expressarem melhor, como são caros, guarde-os para as melhores ocasiões, mas se alguém quebrar um, quebre outro. É grandiosa a sensação de liberação.

Case-se com um produtor de vinho. Você tem que gostar do campo, mesmo no inverno, e não se importe de levantar cedo.

Beba vinho do ano de seu nascimento, tente ter nascido em grande safra. Tenha sempre uma coleção de vinhos velhos, compre nos leilões.

Jante sempre com fois gras e Château d’Yquem, é a mais sublime combinação que existe. Se comer quente acompanhe com a melhor champagne madura que tenha.

Visite o Vega-Sicilia, é tão fácil quanto visitar o Fort Knox, é proibido visitas. www.vega-sicilia.com

Beba vinho Madeira de quando Maria Antonieta estava no trono da França, ou pelo menos de quando a Rainha Victoria no trono inglês. Como o Madeira é praticamente imortal, é uma imediata ligação com o passado.

Pegue conchas marinhas fósseis nos vinhedos de Chablis, nem precisa olhar  as videiras. É mais fácil que trazer as garrafas.

Vá a leilões de caridade no Napa Valley www.napavintners.com , ou ou no Hospice de Beaune na Borgonha, www.hospices-de-beaune.com e compre um barril com os amigos.

Vá assistir as corridas de cavalos na praia de Sanlúcar de Barrameda, menos formal que em Ascot, e depois passe a noite bebendo Manzanillas com tapas.

Beba vinhos das uvas Grüner Veltliner aos meios litros em Buschenchank, uma taverna perto de Viena, cheia de turista.

Inicie uma confraria, é um jeito prazeroso de melhorar sua habilidade de degustar. Envolva um importador que o ensine sobre as regiões e países.

Fique no hotel Les Crayères na Champagne, provavelmente o melhor que conheço, você assim não tem que andar muito na volta, o serviço é ótimo, parece estar numa casa particular.  www.lescrayeres.com

Coma uvas de vinhedo famoso (veja como os taninos são macios) se for convidado; caso contrário não deixe que vejam ou ouvirá muito xingo.

Faça um tour de vinho e arquitetura na Rioja www.bodegasysios.com , www.marquesderiscal.com

Beba um Essencia de Tokaj. Na verdade menos interessante que os 5 e 6 Puttonyos, mas muito mais mitológico.

 Pegue o trem de Oporto a Pinhão, às margens do Douro verá quintas, pescadores, lavadeiras e mais quintas. Lindas colinas muito escarpadas, em Pinhão almoce no Vintage House www.csvintagehouse.com

Faça um tour de camelo no Mc Laren Vale, eles não são bichos locais, mas já estão lá há muito tempo, é agradável a vista.  www.foodandwinetrails.com.au.

Pise as uvas do vinho do Porto no lagar, você sente o suco morninho abaixo dos joelhos e sentirá as cascas e sementes, não se distraia , faça o que veio para fazer, extrair a cor e as essências das cascas. Pode ser feito nas melhores quintas todos os anos no outono.  www.arblasterandclarke.com para os detalhes do tour.

Sabrar uma garrafa de champagne, não é difícil, precisa dar uma pancada seca com o dorso do sabre, nem muito forte para não espatifar a garrafa, nem muito tímida que não aconteça nada. Tire a cobertura, mas deixe o arame,  mantenha o gargalo para cima e com os braços quase esticados, deslize com sabre sobre o gargalo, o ideal é quebrar o gargalo regular abaixo da rolha. O melhor é tentar na casa dos outros, conseguir o sabre fica por sua conta.

Faça um curso de vinho, é sempre um lugar para uma desculpa onde você estava à noite. Faça o curso do www.zedovinho.com.br

Compre vinhos diretos do produtor, (para residentes europeus), podem não serem ótimos, mas é divertido, você pode guiar os amigos a “um pequeno produtor que conheço”.

Beba Porto Vintage jovem com sobremesas, eles ficam os 3 ou 4 primeiros anos suculentos e gordos antes de se fecharem.

Faça um passeio de helicóptero sobre uma área vinícola, sobre Médoc, seus castelos parecem brinquedos e sobre o vale central do Chile você entende como funcionam os vales dos rios, leve mapas.

Tente beber “ice wine”preferentemente de Niagara (Canadá)  ou de Saar (Alemanha). No Canadá fuja dos aromatizados, com frutas ou espumantes, beba os clássicos.

Corra a Maratona de Médoc, tem uma porção de paradas com vinhos e ostras no caminho, www.marathondumedoc.com

Reconheça um vinho “buchonée”, (com gosto ruim de rolha), e discuta com o sommelier com sucesso, se ele não tinha percebido, você tem o direito de trocar a garrafa. Se seus argumentos não forem reconhecidos, seja educado, aceite a situação, sua última arma é a gorgeta.

Faça o café da manhã com champagne excepcional,você não vai querer champagne micha, pule o suco de laranja, coma com ovos mexidos sobre a torrada, claro ovos de avestruz.

Planeje um jantar festivo, só com vinhos. Nada contra não abrir suas melhores garrafas se eles não forem devidamente apreciados. A comida deve ser simples, não deixe ninguém esnobar, o vinho é para trazer alegria. É um momento bom para usar seus decanters e taças importantes.

Visite as adegas do Château de Beaune, o quartel general dos Bouchard Père e Fils que tem a mais famosa biblioteca de vinhos da França ou do mundo. Milhões de garrafas em seus subterrâneos, muitas salvas dos soldados nazistas. www.bouchard-pereetfils.com

Trabalhe numa vindima, esqueça o que seja dormir, mas divirta-se muito. Um dos seus fornecedores de vinhos poderá conseguir isto para você, ou escreva diretamente a um produtor.

Beba vinhos de videiras mais velhas que você, velhas vinhas não será velhas se forem mais novas que você. Algumas no Barossa Vale são as mais velhas do mundo, poderão impressionar suas avós.

Compre vinhos “en primeurs”, logo depois de produzidos, ainda não engarrafados, é bem divertido, você poderá sair murmurando: comprei pouco este ano, só um pouco de Cheval Blanc.

Descubra os castelos e os vinhedos do Vale do Loire, de bicicleta, a passo lento, descubra mercadinhos locais e pare quando quizer.                  www.headwater.com  para se organizar, mas lembre-se, as regiões vinícolas são em colinas.

Visite os locais com cangurus no Hunter Vale na Austrália, leve binóculos para vê-los entre os arbustos, eles são muito tímidos.

E… beba suas melhores garrafas, beba os que tiverem no topo da montanha e poderá dizer; se eu o tivesse bebido há cinco anos… Abra-os um pouquinho imaturos e terá o prazer de vê-lo abrir e perfumar a taça.  Um vinho bem jovem é cheio de prazeres, um vinho muito velho é um desperdício. Se já o comprou velho, ainda pode avaliar o que restou dele.

Theme Distributed by Rock Kitty and Wordpress Themes