Arquivo de 'adega' Category

Oct
18

A organização de uma adega – o espaco fisico



Existem vários cuidados a se observar para se organizar uma adega, tanto no sentido físico do local como do conteúdo a se guardar.

Para uma adega caseira, para uma pequena coleção de poucas garrafas de vinhos, acreditamos que é só encontrar um lugar fresco em casa com a mais baixa temperatura, protegida da luz e de trepidações, longe de fontes de calor (cozinha, canos de água quente, etc)  e de odores agressivos aos vinhos (alimentos, materiais de limpeza, tintas, querozenes, etc).

Bons vinhos guardados por pouco tempo, alguns meses talvez, em lugares não refrigerados, mas com alguns cuidados, não costumam estragar imediatamente. Mas, se pretendemos fazer uma coleção progressiva deveremos iniciá-la de um modo mais correto.

Nada mais gostoso de que se consumir um vinho que foi amadurecido com os olhos do dono, beber uma garrafa que foi bem guardada há alguns meses ou anos, após ter bebido a primeira garrafa do mesmo vinho e perceber a melhora desta guarda. Alguns bons vinhos, de boas safras ou fortificados (que receberam adição de álcool na sua elaboração), podem e devem ser amadurecidos por décadas.

Se não houver um lugar suficientemente fresco, será necessário construir artificialmente, para bem guardar os vinhos em uma temperatura entre 14 e 16 ºC, ou até menos para alguns mais exigentes, com cerca de 75% de umidade e uma pequena ventilação,

Poderá ser uma adega armário, com muitas opções no mercado, ou construir um quarto com sistemas de ar refrigerado e umidificação, para uma quantidade maior de garrafas, projetado por técnicos no assunto.

As garrafas devem permanecer deitadas para que o vinho fique em contato com a rolha e a mantenha úmida e túrgida e os rótulos para cima para os depósitos naturais fiquem visíveis no lado oposto ao dele.

Iluminação leve e só no momento da busca de uma garrafa.

Organize nos nichos por países e dentro deles por tintos e brancos. Os mais velhos ficam mais colocados nas estantes mais baixas (é mais frio) conserva melhor.

Tenha um livro ou fichário com anotações dos vinhos, vai ser agradável comparar notas, com datas e preços de compra, comentários de degustações, etc.

 

 

 

 

 

 

ORGANIZAÇÃO DE UMA ADEGA

Os vinhos

 

 

Para uma versátil, pequena e gostosa coleção poderemos iniciar com esta quantidade ou múltiplas vezes abaixo ou acima:

 

Vinhos Brancos:

 

  • 2 garrafas: seco, encorpado, para aperitivo:

Xerez vários tipos, Madeira.

  • 6 garrafas: secos, frutados com boa acidez, para aperitivos, para o diário, peixes e frutos do mar:

Sauvignon Blanc, Semillon, Pinot Griggio, do mundo todo.

  • 6 garrafas : seco, redondo, untuoso mais encorpado

Chardonnay, Viognier, etc., de todo o Novo Mundo ou Europeu.

  • 3 garrafas de espumantes para aperitivos e momentos alegres:

Espumantes de todo o mundo, Prosecco, ou Champagnes.

  • 4 garrafas: doces licorosos para sobremesas e queijos fortes:

Sauternes, Moscatéis portugueses, espanhóis e franceses, italianos, Tokaji da Hungria, todos os colheitas tardias da Alsacia, Alemanha e do Novo Mundo (Sul Americanos, Norte americanos, Australianos e Sul Africanos).

 

Vinhos Tintos

 

  • 6 garrafas vinhos tintos leves simples, para o diário para carnes massas, queijos:

Italianos:  Chianti em geral, Barbera, Valpolicella, Portugueses, Espanhóis, do Novo Mundo.

  • 6 garrafas tintos médio corpo, para carnes, massas com molhos mais adequados e queijos.
  •  Pinot Noir variados, Merlot italianos e do Novo Mundo, Nero D’Avola italiano, Syrah leves.
  • 12 garrafas tintos, encorpados para pratos robustos.

Cabernet Sauvignon do mundo todo, Carmenère chileno; Malbec argentino; Barolos e Barbarescos do Piemonte; Amarone de Valpolicella, Sangiovese da Toscana; Tempranillo e Garnacha da Espanha; Tinta Roriz, Touriga, Trincadeira, Periquita de Portugal, Shirraz da Austrália.

  • 6 garrafas de tintos finos, boa qualidade, para uma ocasião com jantar especial:

Pinot Noir da Borgonha, os vinhos tintos de Bordeaux, os Côtes  Rôtie e Hermitages do Rhône, os Super Toscanos, os Barolos, os Barbarescos da Itália, escolhidos e caros Californianos, Chilenos, Australianos, Argentinos, Sul Africanos, da Nova Zelândia.

  • 2 garrafas de tintos doces e nobres, para sobremesas, até chocolates:

Vinhos do Porto, Madeira, Xerez, Banyuls, Marsala, Recioto della Valpolicella, etc.

Theme Distributed by Rock Kitty and Wordpress Themes